Mistério à vista

pegadasEu não tenho medo do novo, sou decidida e desprendida, e tento sempre fazer o que me vem à cabeça, sem deixar de lado a razão. Apesar de ser tão determinada, confesso que estou temerosa com o “mistério” à vista. Já vivi a experiência de morar em outro país (Canadá), mas foi apenas por um mês, com acomodação em casa de família, comida pronta e todos os pingos nos “i”s.

A “aventura” que vou viver agora é mais intensa, mais humana e sei que vai mostrar mais sobre mim. Desde a convivência em um país cuja língua não domino ainda, até a necessidade de aprender mais algumas tarefas domésticas, como cozinhar, lavar e passar. Afinal, ser dona do próprio nariz não é apenas pagar as contas, mas também saber se virar em tudo e como puder.
Aqui relato algumas angústias comuns (ao menos pelo que sinto, e pelo que outros intercambistas já relataram):

Saudades
Se o viajante já não for tão dependente da família, a despedida por esse período será tranquila. Claro que há muitas saudades, mas é possível manter contato ao menos semanalmente, por e-mail, skype, telefone, carta… No meu caso, sentirei falta especialmente do meu pai, que está tão apreensivo por me deixar viver longe dele, ainda que por tão pouco tempo. Pensarei nos meus irmãos e na minha sobrinha que também farão parte da saudade, bem como os amigos que me apoiaram nesta empreitada.

Relacionamentos
Dizem que quem fica no país de origem sofre muito mais do quem viaja e as coisas podem se abalar facilmente nessa situação.
Soube de um caso em que um rapaz quase enlouqueceu quando a namorada viajou para a Europa. Outra história que ouvi falar foi de um casal que o namorado teve psoríase, uma doença de pele causada pela depressão e nervosismo.

Não é possível prever o que acontece com um relacionamento quando se está a milhares de quilômetros de distância. Uma dica pode ser estabelecer algumas regras de convivência até a partida, para que o trauma não seja grande.

Espero que nada de mau aconteça no meu relacionamento e, mesmo eu tendo recebido incentivo para este meu sonho, peço e rezo para que o mundo de cada um não vire do avesso quando estivermos separados.

Amizades
Aprender uma nova língua é tão difícil quanto conviver com pessoas de outros países, com outros hábitos (nem sempre tão agradáveis), no entanto, tenha certeza de que tudo servirá como lição de vida.

Sou bastante sociável e creio que não terei problemas em fazer amizades. De qualquer forma, quando não se tem o apoio de alguém presente ou o auxílio de alguém já conhecido, o medo pode surgir com maior frequência.

Dificuldades
Controlar os gastos da viagem será uma das etapas mais difíceis. Num intercâmbio, dificilmente o estudante consegue juntar dinheiro. Então, o melhor que se pode fazer é equilibrar os gastos com o pouco que se pode ganhar nos trabalhos alternativos (já falei sobre as possibilidades de estudar e trabalhar em intercâmbios nesse post aqui).

No meu caso, a dificuldade maior para manter essa balança é a minha vontade de aproveitar para conhecer o máximo que eu puder do outro lado do mundo, muito além de Melbourne.

Por exemplo, embarcar no trem que faz a rota Indian-Pacific, ou seja, os trilhos que cortam a Austrália de uma ponta à outra, de Perth a Sydney. Sei que é bastante caro, (os valores vão de 751 a 3450 dólares australianos), porém, vale a pena pela paisagem, pois o trem passa por vales cercados de florestas, cachoeiras e atravessa o deserto (o famoso Outback) até o seu destino final. São 68 horas (praticamente três dias) dentro de um vagão – bem mais do que as 24 horas de avião entre o Brasil e a Austrália – será que todos aguentam?

Outros dois destinos interessantes e próximos dali são Nova Zelândia e Tailândia, pois não sei quando vou cruzar novamente o mundo inteiro e ter outra chance de conhecer esses países.

Além disso, se já se gasta bastante com o básico (alimentação e transporte), mais ainda se gasta para aumentar as experiências culturais e gastronômicas.

E uma coisa de que não tenho dúvida é que voltarei mais gordinha desta viagem. Não vou deixar de comer o que tiver vontade, de conhecer sabores e degustar comidas e bebidas diferentes.

Afinal, é assim que se aproveita uma viagem, não é?

Advertisements

6 thoughts on “Mistério à vista

  1. Deise, parabéns pelo blog! Sem puxa saquismo( rsrs) está muito interessante, espero que continue postando essas informações bem úteis e as suas impressões. Tá chegando, hein?…rs beijos, Paloma

    • Paloma, quanto tempo. Não sei porque não havia respondido o seu comentário aqui, desculpa. Precisamos marcar algo para eu te contar como foi a viagem e também quero saber as suas novidades. Beijo!

  2. Oi, td bem com vc? Achei seu blog e pelo que vi já tá nas vésperas de ir, né?! Que bacana!!!
    Eu e meu marido estamos indo em setembro, também para Melbourne e iremos inicialmente ficar 6 meses por lá. :o)
    Vc vai estudar em qual escola lá?
    Aproveite bastante a viagem!
    Quem sabe ainda nos cruzamos por lá! Vou acompanhar seu blog ansiosa pelas novidades que postará de lá!
    Beijinhos,

    Narjara.

  3. Olá, Narjara. Muito obrigada pela visita ao blog. Pretendo atualizá-lo ao menos uma vez por semana enquanto estiver na Austrália. Vou estudar na Fusion English e estou ansiosa pela viagem. Continue acompanhando porque as novidades vão ficar mais interessantes quando chegar lá, especialmente para vcs que têm como destino a mesma cidade. Beijos!

  4. Oiee… Tudo bem?
    Já conhecia seu blog há um tempo, mas somente hoje puder ler mais coisas!
    Nossa, você está de parabéns! Você escreve muito bem e ao ler, tenho a sensação de estar vivendo o que você está explicando!

    Chego em Brisbane em Fevereiro com meu namorado e também temos um blog… Hoje fiz uma postagem parecida com a sua. Mas sou muito mais dramática kkkk Tenho medo de muitas coisas! Sempre morei com meus pais, o maior tempo fora de casa foi 20 dias… Sou muito apegada a família e amigos… Tenho uma sobrinha bebê que morro de medo dela esquecer que existo hahah No post falei mais sobre os medos diretamente relacionados a viagem… Não falei muito sobre pessoas… Mas lendo o seu, realmente, isto me preocupa demais!
    Meu pai está doente… Morro de medo de algo com ele enquanto eu estiver longe… não gosto nem de pensar 😦

    Mas enfim… Com certeza muitas coisas boas virão!

    Desde que conheci seu blog, o linkei no meu, na parte de blogs que visito. Espero não ter problema….

    Se quiser dar uma olhada o link é http://leticiaeeduardonaaustralia.blogspot.com.br/

    Parabéns mais uma vez e tudo de bom sempre!

    Beijão!!

    • Olá, Letícia. Tudo bem? Fico muito feliz em saber que você está lendo o meu blog e escrevendo um. Sempre acho que informação nunca é demais e todos precisam se basear em algo para que as expectativas se correspondam com o real. Espero que você continue firme e forte com o seu blog porque confesso que foi bem difícil fazer matérias enquanto estava por lá, sobrava pouquíssimo tempo pra fazer qualquer coisa. Obrigada novamente pelos elogios e por linkar o seu blog ao meu. Desejo toda a sorte do mundo. Beijo!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s