Gastronomia

gastronomia-melbourneDiferentemente da maioria dos destinos turísticos pelo mundo, a Austrália não possui comidas típicas. Na minha busca gastronômica aqui em Melbourne, o que encontrei foi uma mistura de sabores de todo o mundo. Em algumas ruas pode-se encontrar um restaurante grego ao lado de um libanês, em frente a um italiano que fica ao lado de um chinês. A Lygon Street, localizada no bairro Carlton, é um exemplo dessa deliciosa “lambança”. Conhecida por ser a rua dos restaurantes italianos, também abriga as culinárias de outras culturas como a francesa, a indiana, a tailandesa e a vietnamita.

Apesar da miscelânea, muitos dos hábitos australianos foram herdados dos colonizadores ingleses. E com a culinária não é diferente: Fish and chips (peixe e batata frita) são atrações comuns em Melbourne, havendo, inclusive, restaurantes especializados apenas neste tipo de iguaria tradicionalmente inglesa.

 

Até o momento não sei responder porque os restaurantes do Brasil que se dizem tipicamente australianos vendem costelas como prato principal. As carnes são caras aqui na Austrália e o mais comum é ver os australianos comendo muita batata (de todos os jeitos) e verduras. (Não sei se é coincidência, mas eu nunca tinha conhecido tantos vegetarianos como aqui em Melbourne). Por isso o Outback e o Joey Steakhouse não seguem a real “cultura” e não representam exatamente a gastronomia australiana – embora sirvam ótimos pratos, convenhamos.hungry-jacks

Para o intercambista que quiser economizar, e não possuir tempo, habilidade ou condições de cozinhar em casa, a opção mais trivial e barata será o fast food. Eu mesma, até encontrar um emprego num restaurante onde ganhava uma refeição recorri muito ao Hungry Jacks, uma espécie de McDonald’s australiano. É interessante que eles disponibilizaram um aplicativo para celular que funciona da seguinte maneira: após instalado e ativado em seu celular, ele indica as lojas mais próximas. Ao passar perto, você chacoalha o aparelho e recebe uma mensagem dizendo o que você ganhou. Geralmente são promoções que te dão algum bônus ao comprar um produto, mas às vezes, você simplesmente ganha algo. Eu já perdi as contas das porções de fritas que comi de graça com esse aplicativo.

Outra opção barata são as pizzas. No entanto, preciso dizer que as pizzas daqui não são deliciosas, principalmente se você é de São Paulo, onde – na minha modesta opinião – são feitas as melhores pizzas do mundo. As redondas australianas não são horríveis, mas o sabor, o recheio e a massa são bem diferentes. E também é possível encontrar lugares que servem por pedaços. Curiosamente, eles oferecem dois preços, por exemplo: AU$ 2 para cada pedaço se você comer dentro do restaurante e AU$ 1,50 se você comer do lado de fora do estabelecimento, ainda que nas mesinhas do mesmo. Que interessante, não? Não preciso nem dizer que só como fora.

Também é comum ver estabelecimentos que aceitem que o cliente leve a sua própria bebida, são os famosos BYO (Bring Your Own – Traga a Sua Própria bebida). Alguns restaurantes cobram uma taxa por garrafa (cerca de AU$ 3).

Outra peculiaridade dos restaurantes australianos é que eles oferecem água “da torneira” para todos os clientes. Assim que alguém senta na mesa o garçom já vêm com uma garrafa de água e copos suficiente para todas as pessoas da mesa. É normal beber água da torneira por aqui, por isso ninguém se assusta. Ainda não sei como funciona o tratamento de água, mas até agora não passei mal nenhuma vez.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOs australianos são apreciadores de café, e a variedade de apresentações e sabores dessa bebida é o carro chefe de muitos estabelecimentos comerciais. Além do expresso (ou “short black” por aqui) e o cappucino tradicionais, há o flat white (uma camada de espuma de leite com o café), o latte (o famoso café com leite que pode ser substituído por leite de soja) e o spicy chai latte (que, apesar de ser um pó indiano, e não de café, misturado com leite, está sempre nos cardápios por aqui).

E já que não consegui destacar nenhuma característica da culinária australiana, venho relatar um hábito curioso referente às refeições australianas. O povo aqui têm uma mania muito estranha (especialmente para nós, brasileiros): comer tudo com a mão. Se fossem só pizzas ou hambúrgueres, tudo bem, mas é quase tudo. Eles utilizam o garfo (e apenas o garfo, não “garfo e faca”) para comer macarrão, batata e arroz, mas no final empurram os últimos grãos para o garfo com o dedo. Achei bem esquisito e só me dei conta de que esse hábito é completamente normal por aqui quando vi uma senhora com seus 50 e poucos anos, toda chique (vestido brilhante, com pulseira e anéis de ouro) comendo alface, batata frita, frango e tudo a que tinha direito com as mãos.

Mas não lamentemos que a Austrália não tenha a sua própria gastronomia. Pelo menos os australianos inventaram alguns produtos que são sensações em todos os supermercados por aqui:

vegemite1 – Vegemite: Uma pasta de cevada que tem um gosto muito particular. O vegemite foi criado na década de 1920 e é um orgulho nacional, mas para falar a verdade, até o momento encontrei apenas australianos que gostam disso. De início, você deve passar bem pouco vegemite na fatia do pão para se acostumar com o gosto forte e salgado. Depois você pode colocar mais ingredientes no pão para sentir a diferença do gosto, pode ser manteiga, ovo ou qualquer coisa que seja salgada. Eu comprei um pote pequeno para experimentar porque já tinham me advertido que não me agradaria. Dito e feito, o pote está aqui quase intocado.

meat-pie2 – Meat Pie: (torta de carne) com molho vermelho, também já virou rotina nos restaurantes de Melbourne. Dependendo de onde se come, algumas vem com muito recheio e outras quase não tem carne, mas vale a pena experimentar.

timtam3 – Tim Tam: um biscoito de chocolate muito gostoso e diversificado (tem de chocolate amargo, caramelo, cookies e creme, menta, mel, hazelnut, floresta negra…). Os australianos inventaram uma maneira diferente de comer esta delícia: morder os cantos do biscoito e usá-lo como canudo para beber leite quente do copo. Quando o leite dissolve o chocolate… hummm!

fairy-bread4 – Fairy Bread: servido nas festas infantis, faz a alegria das crianças. Ainda não experimentei, mas sei que é um pão com granulados coloridos tradicional na Austrália e na Nova Zelândia.

sticky-date-pudding5 – Sticky Date Pudding: é um bolo popular em Melbourne, feito com tâmaras e cobertura de caramelo (geralmente servido com uma bola de sorvete de creme). Um dos mais vendidos por aqui.

Para experimentar essas iguarias, só vindo para cá ou tentando copiar uma receita da internet. E é claro que eu recomendo a primeira opção!

Advertisements

2 thoughts on “Gastronomia

  1. Deise, eu adoro seu blog, super prático.
    Na minha homestay eles disseram que a água daqui é tratada, por isso podemos beber, eu acho ótimo, assim não preciso gastar comprando água e da sua lista de produtos Australianos eu fico com o TimTam que agora está com uma promoção, compre 1 e leve o outro por $1,00. heheh

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s