A força da amizade

amizade-australiaEm qualquer lugar do mundo você vai precisar de amigos que se cooperam mutuamente nas tarefas domésticas, que auxiliam nas burocracias e que dão conselhos. Aqui na Austrália o intercambista pode ter a sensação de que a força da amizade é maior que no Brasil, porque quem chega fica perdido com tantas mudanças bruscas, e quem já está aqui há um tempo acaba dando um norte para os novatos.

Torna-se natural o apoio entre “conterrâneos”, mas fazer amizade com alguém de uma cultura totalmente oposta também pode surpreender. Eu, por exemplo, surpreendi-me muito com os coreanos que conheci no meu curso de inglês, todos muito simpáticos e sempre prestativos (apesar de pedirem para comer tudo que eu trago para a refeição do intervalo).

Por outro lado,  via (e ainda vejo) os italianos como ótimas pessoas, até porque tenho este sangue correndo nas minhas veias e o sobrenome não nega, mas, sem querer generalizar, decepcionei-me demais com muitos que conheci aqui. Ou rabugentos (e até desonestos, como os que conheci no restaurante onde trabalhei), ou arrogantes e egocêntricos, como outros que acabei encontrando. Mas não quero, repito, generalizar, e tampouco prolongar este breve desabafo.

amigos-australiaVoltando aos bons exemplos de amizade: assim que cheguei, vi que o custo de vida de Melbourne realmente era (e continua sendo) um absurdo. Quando me mudei da casa de família eu tive que pagar o aluguel e o bond (um mês a mais de aluguel de caução que você recebe de volta quando sair da casa), ou seja, foram quase 1.200 dólares à vista. Pronto, havia me sobrado menos de 200 dólares, já que só o transporte mensal custou mais de 120 dólares. Foi então que recebi doação de roupas de cama de diversas pessoas, brasileiros, colombianos e italianos. Minha cama é um carnaval, nada combina com nada. A única coisa que tive que comprar foi o edredom que custou cerca de AU$ 35, para cama de casal porque é mais largo e pode ser dobrado no meio para deixar mais quentinho.

neve-australiaQuando fui passear nas montanhas de Victoria para ver neve, consegui todas as peças de roupa emprestadas (porque também são caras por aqui). Aluguei apenas a bota por AU$ 12 para ficar o dia inteiro.

Eu também recebia – e de vez em quando ainda recebo – um pouco de alimentos de alguns brasileiros que trabalham numa churrascaria, pois ao final do dia eles podem levar quanta comida eles conseguirem carregar. Como sempre sobra, eu não tenho vergonha de aceitar. No final do mês, o dinheiro poupado vale a pena, sempre.

Há outros inúmeros exemplos de ajuda, como: indicação de emprego, lugar para morar, pessoas para compartilhar o apartamento, e outros tipos de preocupações que todos os intercambistas têm. Fico feliz de ter encontrado pessoas tão importantes que continuam me auxiliando em tudo.

Quanto a mim, tento retribuir a quem me auxiliou e ajudar a quem mais eu puder. Inclusive através deste blog. Respondo todas as dúvidas que chegam por meio dos comentários e tento ser a mais detalhista possível para não deixar dúvidas. Particularmente espero ajudar muitas pessoas que pensam em vir para a Austrália ou que já estão por aqui e querem saber um pouco mais sobre Melbourne.

E obrigado a todos. 😉

Advertisements

2 thoughts on “A força da amizade

    • É incrível como sempre precisamos de pessoas ao nosso lado. Achei que por sair da casa da minha família no Brasil eu seria mais independente, mas sempre dependemos de alguém. De qualquer forma não é ruim isso. Vivendo e aprendendo. Abraço!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s