Como levar o seu pet (Austrália → Brasil)

animal-de-estimacao-exteriorEste texto foi motivado por uma situação que está acontecendo comigo no momento e, embora não seja algo comum na rotina de um intercambista, vale ao menos como dicas de um procedimento que poucos conhecem.

Ter um animal de estimação no exterior não é para qualquer um. Afinal, como adotar um bichinho e depois abandoná-lo num país que provavelmente você nunca voltará a visitar? Este é o meu caso, que sempre quis ter um furão, mas não tinha coragem de pagar R$ 2.000,00 na compra do animal no Brasil. Já aqui na Austrália o furão é mais popular porque é utilizado para caçar ratos em fazendas e, por isso, consegui o meu de graça.

O Pringles (como eu o chamei) é tudo o que eu sonhei, e deixá-lo aqui na Austrália é como se fosse deixar um ser humano, um filho. Você que tem seu animalzinho de estimação sabe exatamente do que estou falando. Então comecei a pesquisar as maneiras de levá-lo comigo. Contudo, a burocracia para conseguir as documentações necessárias e o alto custo me fizeram desistir da ideia.

Para levar um ser humano é preciso apenas visto, passaporte e dinheiro para a passagem, mas para levar um animal a dificuldade é cinco vezes maior. Ainda mais se for um bicho (como o furão) que não é da fauna brasileira e por isso precisa de chip identificador, castração e um controle super rígido do IBAMA.

Listei abaixo alguns dos documentos necessários para levar um animal com destino a São Paulo exigidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA.

– Obter uma autorização de importação do MAPA mediante o preenchimento e protocolo do Requerimento de Importação, à Rua 13 de maio, 1558 – térreo. (Sim, alguém que tenha a sua procuração no Brasil deve fazer isso por você);

– cópia da procuração, caso o requerimento não seja assinado pelo importador;

– cópia da autorização IBAMA;

– Licença de Importação (LI) junto ao SISCOMEX, se couber;

– Após aproximadamente 7 dias a autorização pode ser retirada no mesmo endereço.

Além disso, no desembarque do animal no Brasil, deve ser apresentado ao fiscal do MAPA o certificado emitido pelo serviço oficial do país de origem, no qual um dos idiomas seja o português, contemplando os requisitos sanitários (vacinação antirrábica e tudo o mais).

Infelizmente, o IBAMA nunca respondeu nenhum dos e-mails que encaminhei e nem atendeu o telefone para que eu conseguisse a autorização.

Outras dificuldades já partem daqui da Austrália, como conseguir um certificado CZI – Certificado Zoossanitário Internacional, atestando que o animal se encontra com boa saúde e que não há relatos de doenças contagiosas na região. O certificado deverá ser assinado pelo veterinário, com carimbo e número da licença profissional.

O veterinário deve também preencher a Notificação de Intenção para Exportação de Animais Vivos (Notice of Intention to Export Live Animals), que pode ser obtida na página do Australian Quarantine and Inspection Services – AQIS.

O CZI e a Notificação de Intenção para Exportação deverão ser endossados por veterinário do Australian Quarantine and Inspection Services – AQIS, e deverão conter a assinatura e carimbo do responsável pelo Departamento, no prazo de até 10 (dez) dias antes do embarque do animal.

Todos os documentos devem ser levados ou enviados à Embaixada do Brasil em Camberra para legalização. (A Embaixada do Brasil em Camberra atende apenas com hora marcada).
Depois de tudo isso ainda, é necessário entrar em contato com as companhias aéreas (no meu caso Qantas e Tam) para reservar o lugar do pet, já que há um limite de apenas dois animais por voo. Sem falar no valor que nem cheguei a cotar porque, dada a dificuldade, acabei desistindo na fase das documentações.

animal-de-estimacao-exterior2Então pulei etapas e fui ver quanto custa transportar um animal de estimação com a ajuda de uma companhia particular (que consegue todos os documentos necessários e realiza todo o trabalho do veterinário citado acima). O valor? Não sai por menos de AU$ 3.000,00. Isso mesmo, em dólares australianos. Ou seja, dá para comprar três furões no Brasil! Não é um absurdo?

Enfim, o Pringles será doado dentro de alguns dias com gaiola, comida, shampoo, coleira e brinquedos.

Espero que, de alguma forma, as informações deste post possam ajudar alguém. Torço para que a falta de dinheiro e as burocracias não te deixem desistir do seu pet.

Advertisements

21 thoughts on “Como levar o seu pet (Austrália → Brasil)

  1. Triste né? Entendo. Mas meu caso vai ser deixar a minha dog em SP e partir para Melbourne no final de Maio. Felizmente ela vai ficar com uma amiga e quando eu voltar a terei de volta,mas que doi saber que vou ficar longe da minha parceira isso doi. Cheguei pensar em traze-la depois de um tempo, mas vou chegar la primeiro e com o tempo eu vejo isso melhor. 🙂

    • É muito triste mesmo. Se você ficar por pouco tempo em Melbourne recomendo não levá-la porque já é uma viagem cansativa para humanos (mais de 24h dentro do avião), imagina para um bichinho. Boa sorte pra você!

  2. Levar animal do Brasil para a Austrália é praticamente impossível. Super inviável. Austrália e NZ possuem uma lista de país dos quais a entrada de animais é permitida e como o Brasil não tem um bom controle da raiva, o Brasil não está entre esses países.
    A única forma é enviar o animal para algum dos países aceitos (na América do Sul é o Chile e a Argentina),e fazer um exame de sangue para detecção da raiva, 6 meses antes da viagem. O animal até pode voltar ao Brasil, mas com um mês antes da viagem ele volta para o outro país, realiza outro exame e não pode mais voltar para o Brasil. Na chegada a Austrália, é preciso ficar a quarentena de dez dias (até um tempinho atrás a quarentena era de um mês, mas diminuíram).
    O custo disso tudo é astronômico e o estresse para o animal tb!
    Que pena que não conseguirá trazer seu furão. Quando fui morar na NZ, minha cachorra ficou com minha irmã na Bélgica para poder se encontrar comigo, mas como as coisas não deram muito certo, voltou ao Brasil 9 meses depois. Não foi complicado conseguir a burocracia da volta não e no avião, apesar de dizerem que só pode ter 2 animais, tinham 8 cães na mesma aeronave!!!

    • Gabriela, não sei se a regra de quantos animais é possível levar em uma única aeronave mudou ou se isso só vale para as companhias aéreas entre Austrália -> Brasil. Com certeza seria muito melhor se pudéssemos sempre levar os nossos bichinhos conosco.

      • A “regra” eram dois mesmo, foi um caos conseguir o voo, mas quando eu estava esperando meu marido desembarcar com ela, descobri que tinham 8 cães na aeronave. Eles estavam demorando muito para sair e fui atrás de saber se estava tudo bem, se ela havia chegado bem e a demora era pela liberação dela por parte da Anvisa, quando o funcionário vira para mim e diz :”mas qual dos 8 é a sua cachorra??”
        Eu tomei um susto!! Até a hora em que ela desembarcou, 3 já tinham saído!!!
        Mas é uma pena que esteja deixando seu furão. Estou indo para a Austrália agora e, infelizmente, dessa vez ela vai ficar :/

  3. Impossível trazer algum bichinho pra cá. Muita grana (acho que quase 10 mil doláres). E antes teria que ficar seis meses na Argentina pra depois enviar pra cá pq o Brasil não tem convenio com AU.
    Tive que dar minha gatinha de um ano, pra uma amigona pq eu não volto mais pro Brasil. E não a deixaria na argentina sei lá onde seis meses.
    Imagino sua tristeza. Procure deixar com alguem que vc tenha certeza q ira dar amor a ele como vc deu. Sera a unica coisa que te confortará depois.

  4. Pois é meninas…mesmo sem pesquisar eu ja imaginava que não seria tão fácil, mas prefiro não pensar muito nisso agora e ficar tranquila que a minha Dog estara sendo bem cuidada pela minha amiga no Brasil…ah estes bixinhos viu…gente é quem deveria ter um controle de raiva de tanta coisa ruim que acabam fazendo com os outros e não nossos bixinhos que tratamos com todo amor, cuidado e carinho. 😉

  5. Lamentável tudo isso, quero voltar pra Melbourne/Au (sou naturalizada) agora tenho 2 gatos no RJ e a Australia não aceita bichos brasileiros, sem residencia do animal por minimo 6 meses em paises que estão na lista de aceitação… É o mesmo drama da menina do post, agente temque se separar dos nossos bichos por conta de tanto custo e burocracia… Bichos caseiros, que nem a rua vão , inaceitável… fico revoltada a australia cheia de muçulmano tocando terror e eles barram animais que não maltratam ninguem…

    • Fátima, infelizmente ficamos de mãos atadas quando tudo se baseia em leis e burocracias que, às vezes, nem fazem tanto sentido. É torcer para que os governos repensem e encontrem atalhos para conseguirmos que nossos bichinhos estejam conosco, seja onde for.

    • Da uma olhada que a regra mudou. Não são mais 6 meses. São 45 dias em um dos países aprovados. Tem empresas que fazem esse serviço.

  6. Oi Pessoal, tenho um Labrador de 2 anos e um Golden de 5 meses, ambos femeas! Moro na australiane quero leva-las comigo para o Brasil, como faço?

    • Olá, Tais. Listei as documentações que precisam ser requeridas para transportar seus cachorros na matéria, com a única exceção da autorização do Ibama, já que os seus bichinhos são aceitos como sendo da fauna brasileira e domesticado. Esta é uma longa jornada, mas se quiser pegar um atalho, há empresas que realizam este serviço especializado, só custa os dois olhos da cara. Boa sorte!

  7. Olá pessoal…estou na mesma situação..estou indo para Perth (Western Australia) por 1 ano e meio e tenho um furão.. .o Sid….daria pra levar ele?…são muitas taxas?
    Fiquei triste em saber que quase todos deixaram os bichinhos pra trás 😦

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s